5 curiosidades sobre a jabuticaba

Versátil e deliciosa, a jabuticaba é uma fruta pequena, de cor roxa bem escura e polpa branca. Quem se depara com uma jabuticabeira certamente fica fascinado pela forma com que as frutinhas crescem grudadinhas umas nas outras no tronco da árvore.

Você é fã de jabuticaba? Quer conhecer melhor essa fruta saborosa? Então, continue a leitura e aventure-se pelas curiosidades sobre a jabuticaba!

1. Seu nome vem do tupi

Originária da Mata Atlântica, a jabuticaba tem raízes totalmente brasileiras. Sendo assim, seu nome vem do tupi, podendo ter dois significados diferentes.

O primeiro vem de jabuti (como o réptil) + caba (gordura), ou seja, “gordura de jabuti”. O segundo sentido do nome, por sua vez, significa iapoti kaba, algo que pode ser traduzido como “frutas em botão”, em referência à forma com que a jabuticaba cresce na árvore.

2. Seus benefícios são riquíssimos

Se você se preocupa em manter uma alimentação saudável, pode cair de boca na jabuticaba! Sua polpa branca possui poucas calorias e carboidratos. Por outro lado, ela é riquíssima em vitamina C, vitamina E, ácido fólico, niacina (combate a diarreia), tiamina (fortalece o sistema nervoso) e riboflavina (acelera o metabolismo das gorduras, açúcares e proteínas, além de fortalecer a saúde dos olhos, da pele, da boca e do cabelo).

Como se fosse pouco, a jabuticaba ainda esbanja minerais como potássio, cálcio, magnésio, ferro, fósforo, cobre, manganês e zinco.

Quer mais? A jabuticaba é tão saudável que até sua casca faz bem! Ela é rica em antocianidina, ou vitamina R, substância ainda mais potente que as vitaminas E e C. A antocianidina contém propriedades antioxidantes e ajuda a combater os radicais livres.

3. Ela deve ser consumida rapidamente

Muito rica em açúcar, a jabuticaba fermenta alguns dias após sua maturação. Por isso, a frutinha deve ser consumida logo após a colheita. Afinal, se a fermentação tiver início, as propriedades nutricionais e até o gosto da jabuticaba podem sofrer alterações.

Se o consumo imediato não for possível, lave-as, seque-as bem e guarde as frutas em um recipiente bem fechado, que deve ser armazenado na geladeira. Mesmo assim, elas duram apenas entre três e cinco dias após a colheita.

Normalmente, o período entre a floração e a maturação da jabuticaba é de 40 dias.

4. Estrela de festivais no Entre Trilhas e no Entre Serras

O estado de Minas Gerais ama jabuticaba, mas Sabará é definitivamente o reino da fruta. A cidade, que faz parte do roteiro Entre Trilhas, Sabores e Aromas organiza anualmente um Festival Gastronômico em sua homenagem!

A maior produtora de jabuticabas do estado investe em uma variedade impressionante de produtos produzidos a partir da fruta. Durante o festival, cuja entrada é franca, as barracas vendem os tradicionais picolés, tortas e geleias de jabuticaba. Mas também há espaço para itens mais inusitados, como linguiça, licor, sorvete e molho de pimenta.

Tem até um delicioso vinho de jabuticaba! As próprias frutinhas frescas, é claro, também reinam no festival. Demonstrando a famosa hospitalidade mineira, diversos moradores da cidade “alugam” seus pés de jabuticaba para que os visitantes possam ter a experiência de colher a fruta e experimentá-la fresquinha. Imperdível!

Este ano o festival de jabuticaba será realizado de 15 a 18 de novembro e contará com diversas atrações entre elas cozinha show e atrações culturais. Em breve a programação completa estará em nosso site.

O roteiro Entre Serras da Piedade ao Caraça também utiliza a fruta na produção do famoso vinho de jabuticaba, que dá nome a umas das festas mais esperadas do roteiro, a Festa do Vinho. A “festaduvin”, como é carinhosamente chamada, é realizada geralmente no mês de maio no centro histórico de Catas Altas, aos pés da Serra do Caraça. É uma época do ano bem fria e que deixa o clima do evento ainda mais especial.

No Festival Sabores do Morro realizado no Morro d’Água Quente – distrito de Catas Altas, todo segundo sábado do mês, é possível conhecer os produtores do vinho de jabuticaba e experimentar vinhos, licores e outras delícias que são produzidas com a fruta.

5. Ela pode ser consumida de várias formas

Como deu para perceber no tópico anterior, a imaginação é o limite quando o assunto é a jabuticaba. E lembra do que falamos sobre as propriedades saudáveis tanto da polpa quanto da casca? Por isso, o ideal é utilizar sempre a fruta inteira na hora de preparar suas delícias, inclusive sucos e geleias.

O mesmo vale para quem for comer a frutinha em si. Nada de descascá-la! Aliás, uma das melhores formas de deliciar a jabuticaba é comê-la direto do tronco, imediatamente após a colheita. Nada se compara à jabuticaba fresquinha e madura!

Gostou de descobrir as curiosidades sobre a jabuticaba? Quer conhecer mais sobre a fruta e aproveitar para passear pelo interior de Minas Gerais? Então, não perca nosso post especial sobre Sabará, a terra da jabuticaba!

 

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

Um comentário para “5 curiosidades sobre a jabuticaba”

  1. Elma d. D. Lima Pereira disse:

    Apenas uma crítica construtiva.Eu, Elma, moro em Santa Bárbara, minha casa é lotada de pés de jabuticaba. Meu pai quando vivo fabricava vinho tinto e seco da jabuticaba. uma delícia! Enfim, li uma coisa que não gostei sobre um certo apelido ” festaduvin”.Muito bom ler sobre as propriedades nutritivas que ela tem. Agora, este apelido CHULO que vocês falaram não existe, pois falo com letras garrafais que mineiro não fala tão errado assim: É como a globo tem se expressado na novela das 6, ( Além do tempo), Fico pê da vida ao escutar este sotaque e erros de português que apenas aqueles simples caipiras falam e que também os respeito e não os critico.. Nem todos somos assim, inclusive o pessoal das cidades Citadas. Pode ter sim, um ou outro , mas te falo , não somos assim como nos pregam. Com este Apelidinho carinhoso de vocês( festaduvin) para com os mineiros, mas honestamente não gostamos e isto para mim, é clichê careta.. O Brasil é cheio de línguas diferentes, mas, fora o português – o único idioma oficial – há aproximadamente 180 outras línguas no Brasil. E olha que esse número não considera as comunidades de imigrantes nem as pessoas que aprendem uma língua estrangeira. São só os idiomas indígenas, falados por cerca de 160 000 pessoas. Se eu fosse escrever algo parecido não daria esta bobeira, pois 70% da população de Catas Altas são meus parentes e nunca os vi falando da festaduvin e em Sabará Também. Peço para quem escreveu isto, reavalie a sua escrita, porque ensinamos a falar errado, errado continuará. Vocês querem que a nossa língua portuguesa desapareça e nos deixa apenas com linguajares tribais????????? Porque infelizmente o Brasil inteiro está fazendo isto, economizando no falar e na escrita também. Somos MINEIROS com orgulho pelo que somos e não retardados e caipiras. Parem de inventar apelidinhos chulos que não existem , por favor!
    Atenciosamente, meus respeitos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *